O Brasil é o número dois em quadros depressivos e o primeiro em transtornos de ansiedade

Iniciada em 2014, a Campanha Setembro Amarelo tem o objetivo de prevenir e reduzir os casos de suicídio no país. Com iniciativa da Associação Brasileira de Psiquiatria (ABP), em parceria com o Conselho Federal de Medicina (CFM), a ação tem o dia 10 de setembro oficialmente como o Dia Mundial de Prevenção ao Suicídio.

“O Brasil é número dois em quadros depressivos e o primeiro em transtornos de ansiedade. Os quadros depressivos mais graves e outros transtornos mentais podem ser fatores de risco. As populações vítimas de discriminação como LGBTQIA+, negros, indígenas, entre outros estão entre as mais propensas às ideações suicidas”, relata o diretor de Saúde Mental da Secretaria Municipal de Saúde, psicólogo Felipe Carvalho.

O profissional alerta que com o advento do período pandêmico, e seus efeitos deletérios, a situação se agrava. “Há a necessidade de cuidados redobrados com a saúde mental”, salienta.

“A prevenção começa com a postura pessoal de empatia e acolhimento daquele que sofre, privilegiando a escuta sensível e sem julgamentos prévios”, observa Felipe Carvalho.

O psicólogo ressalta que a ideação suicida, o uso abusivo de substâncias, transtornos mentais, extrema vulnerabilidade social, podem ser considerados fatores de risco para a tentativa de suicídio. “Ideação suicida, automutilação (cutting), tristeza e desesperança persistentes também são sinais importantes”, destaca.

Qualquer dúvida, sinal, necessidade de atendimento, a referência sempre é a unidade básica de saúde mais próxima. O número 188 do Centro de Valorização da Vida (CVV) é nacional e também é um canal para pessoas que queiram conversar com profissionais.

Jornalista: Flávia Adans/SECOM





Publicidade

Deixe o seu comentário